Artistas gonçalenses passam a monetizar trabalho online para ‘driblar’ pandemia

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, artistas de São Gonçalo que foram impedidos de continuar seu trabalho com o público, sentindo diretamente os efeitos do período pandêmico, tomaram a iniciativa de monetizar suas produções feitas pela internet. 

Desde que começou a quarentena, a cantora e figurinista gonçalense Ella Fernandes, de 26 anos, vinha produzindo conteúdos musicais pela internet. A artista passou a interagir mais com seus seguidores, atendendo a pedidos e gravando vídeos com as músicas solicitadas pelo seu público. Foi aí que surgiu a ideia de fazer com que esse conteúdo pudesse ser sua nova fonte de renda, enquanto ela está impedida de fazer shows e até de atuar como figurinista para filmes e séries, que também estão parados. A artista tem disponibilizado em seus conteúdos um QR code e sua conta bancária para possíveis doadores no perfil @ellafernandes.

“Eu percebi que apesar do meu trabalho ter sido prejudicado, eu estou produzindo muito conteúdo na quarentena. Achei justo que eu passasse a receber pelo meu trabalho que eu continuo entregando. Não deixei de entregar meu trabalho, o que mudou foi onde eu entrego”, explicou Ella, que também contou que ver outros artistas monetizando seu trabalho a incentivou a fazer igual. 

O mesmo aconteceu com o músico e artista plástico gonçalense Leandro Ribeiro, de 46 anos. Pai solteiro com três filhas para criar, Leandro viu nas redes sociais a saída para continuar ganhando dinheiro com seus trabalhos. A primeira iniciativa foi de correr atrás de parceiros para criar uma estrutura e passar a fazer lives no Instagram, após conseguir, nas próprias lives, Leandro passou a divulgar seus trabalhos como artista plástico. 

“Como não tenho como trabalhar na noite nesse período, as lives foram uma solução. O lance mais bacana é que a partir delas comecei a fazer rifas dos meus quadros. Uma arte acabou por divulgar a outra. Tenho seguido dessa maneira até agora, não é a mesma coisa, mas ajuda”, contou Leandro que também disponibiliza o QR code e a conta bancária para quem tiver interesse em doar. As lives acontecem toda sexta, às 21h, pelo instagram @leandroribeiromusico. 

Outro artista que decidiu apostar nas redes sociais como fonte de renda foi o Kadú Monteiro, de 34 anos. Ator, cantor, produtor, escritor e apresentador, o multiartista começou no Instagram com uma live karaokê, onde ele cantava as músicas que eram solicitadas pelos seguidores e ainda os fazia participar do ao vivo junto com ele. 

O que era apenas uma brincadeira junto com seus amigos, virou um programa semanal chamado Kaixa Preta. Todas às segundas, quartas e sextas, Kadú convida outros artistas para serem entrevistados por ele através do Instagram @kaduartistamonteiro. Com isso, o apresentador já até ganhou parceria com uma loja de roupas. Apesar de alegar que o retorno financeiro ainda tem sido fraco para se sustentar, Kadu segue com o programa na tentativa de conseguir mais alcance e visibilidade como artista e conta como as redes sociais tem sido importante nesse momento. 

“A rede social virou uma porta para o artista desconhecido. Como as pessoas estão acessando muito a internet, elas acabam nos encontrando por lá fazendo arte e às vezes essa pessoa oferecendo entretenimento pode ser seu vizinho. Esse lugar nos dar o poder de falar sem precisar ter uma empresa que vai ditar o que a gente pode ou não falar”, disse.

Deixe uma pergunta ou um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s